Marluce Quadros Vieira Lima, mãe do ex-ministro Geddel Vieira Lima, foi condenada a pena de 10 anos de reclusão, em regime inicialmente fechado, pelo crime de lavagem de dinheiro cometido oito vezes. A sentença, do último dia 24 de janeiro, é do juiz federal Vallisney Oliveira e veio a público nesta quarta-feira (3).

 A defesa de Marluce já recorreu da decisão. No despacho, o juiz afirma que a matriarca do clã Vieira Lima “utilizando-se da qualidade de ser uma senhora idosa, usou durante longo período o seu próprio lar para esconder e gerir elevada quantia em dinheiro e atuou, pelo menos desde 2011 até 2017, como principal agente e gerente dos filhos na formalização dos negócios, a fim de não levantar suspeitas dos delitos”.

 Vallisney também lembra os altos valores apreendidos no closet de Marluce, “mais de 6 milhões nos empreendimentos firmados e mais de 50 milhões de reais que foram apreendidos”. Segundo a denúncia do MPF, ela seria responsável por gerir, guardar e determinar a saída e a inserção, no mercado formal, dos recursos ilícitos captados pelos filhos. 

O magistrado lembrou que os crimes cometidos por Marluce tinham o mesmo modus operandi: “os recursos ilícitos eram recebidos de diversas fontes”, em seguida, eram escondidos em seu closet/residência e, depois, eram formalizados contratos de investimentos por meio de pessoas jurídicas, “aportando-se os recursos, para que fossem lavados e inseridos regularmente na economia formal”.

Anvisa decide retirar exigência de estudo em fase 3 para vacina contra Covid-19

 

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) anunciou que irá modificar os requisitos mínimos para pedidos de uso emergencial de vacinas para Covid-19. A medida já passa a valer nesta quarta-feira (3). A partir da mudança no texto, a Anvisa não fará mais a exigência de que a vacina esteja com testes na fase 3 sendo realizados no Brasil.

Com a queda da exigência, a utilização dos imunizantes em solo brasileiro pode ser acelerada. O critério era considerado um empecilho para a União Química, farmacêutica que pediu a liberação provisória da vacina russa Sputnik V no país.

No entanto, a mudança não retira a exigência de apresentação de outros documentos pendentes pelo laboratório, mas elimina uma barreira para a aprovação do imunizante desenvolvido na Rússia.


Jovem com passagem por tráfico morre após troca de tiros com a Polícia Militar em Santaluz

Foto: Reprodução/Redes Sociais

Rafael Pereira de Freitas, de 21 anos, morreu na manhã desta quarta-feira (3) após troca de tiros com policiais militares no bairro JK, em Santaluz, região sisaleira da Bahia. De acordo com a polícia, uma guarnição foi até o local para averiguar uma denúncia de tráfico de drogas e, ao perceber a presença da viatura, o jovem efetuou disparos de arma de fogo contra os policiais. Conforme a polícia, houve troca de tiros e Rafael foi baleado. Ele chegou a ser socorrido e levado para o hospital, mas não resistiu. O corpo vai ser encaminhado ao Departamento de Polícia Técnica (DPT) da cidade de Serrinha.


Durante a ação, a polícia apreendeu 35 pedras de crack, 20 pinos de cocaína e 19 porções de maconha, além de um revólver calibre 38 com numeração suprimida. Rafael já tinha passagem por tráfico e havia sido preso em Santaluz no dia 10 de julho do ano passado. Após denúncia anônima, ele foi abordado e apontou um local onde havia enterrado 200 gramas de maconha (lembrar). Na ocasião, a Polícia Civil informou que ele era suspeito de envolvimento em homicídio e tráfico de drogas na cidade de Candeias, localizada na região metropolitana de Salvador.

Rui condiciona festejos de São João na Bahia a vacina e status da Covid-19

 

O governador Rui Costa pediu cautela na avaliação sobre a realização de festas na Bahia, em especial o São João. A declaração foi feita durante o Papo Correria na terça-feira (2). Ao responder uma pergunta de um internauta, Rui condicionou a decisão às variáveis de disponibilidade de vacinas, imunização da população e status da Covid-19 quanto aos números de casos, mortes e rede instalada para atendimento à população. 

“Depende do volume de vacina que nós tivermos alcançado em junho, julho, agosto e setembro, eu não vou falar de festas aqui porque é precipitado fazer isso porque eu acho pouco provável, como já disse, caso a gente tenha até junho alcançado o número expressivo, exceto se a Anvisa parar de atrapalhar e resolver ajudar e aí pode ser que a gente tenha uma oferta maior de vacinas. 

Então se a Anvisa não atrapalhar e passar a analisar as propostas que chegarem, eu vou insistir nisso e o estado da Bahia não quer vacinar sem estudos, sem análise da Anvisa, o que nós não queremos é que Anvisa simplesmente engavete e diga que não vai olhar estudo nenhum. 

Esse é o nosso questionamento, então acho pouco provável que a gente tenha em junho, mas vamos acompanhar, não vamos descartar, não vamos jogar balde de água fria em quem curte o São João, mas ainda é cedo e estamos iniciando o mês de fevereiro e quem sabe a gente consiga um volume maior de vacinas, mas estará condicionada ao percentual de imunização que a gente conseguir e evidente ao estágio, evidente a contaminação que ocorrer lá na frente. 

Se a gente for caindo e ficando com o número residual possa ser que aconteça e para você ter uma ideia, a China outro dia, informou que teve uma morte em 30 dias e lá continua com muitas medidas restritivas, teve uma morte em quase um mês, aqui nós estamos só na Bahia tendo ocorrência de 30 mortes por dia que muitas vezes as pessoas não se dão conta da gravidade da doença”, explicou o governador.

Sem data marcada, governador diz que aulas voltarão antes da maioria ser vacinada: ‘Estamos preparando as escolas’

 

O governador Rui Costa anunciou nas redes sociais que as atividades escolares serão retomadas antes da maioria da população ser vacinada. Apesar disso, Rui disse que ainda não é possível estabelecer uma data, enquanto a ocupação dos leitos da Covid-19 se mantiverem altos.

“Vamos voltar às aulas, sim. A retomada das atividades escolares acontecerá antes da maioria da população ser vacinada, mas não podemos ser irresponsáveis em estabelecer uma data enquanto a ocupação de leitos e o número de mortes se mantiver nos níveis atuais”.

Até as 9h25 desta quarta, a Central Integrada de Comando e Controle da Saúde contabilizava 68% de ocupação de leitos de Unidade de Tratamento Intensivo (UTI) para adultos na Bahia e 67% para leitos pediátricos.

De acordo com Rui, as escolas estão sendo preparadas com mais equipamentos e materiais de prevenção do coronavírus, além da preparação de um plano de alternância das aulas.

“Estamos preparando as escolas com mais pias, álcool em gel e equipamentos de proteção. Já fizemos um plano de alternância de turnos de aulas para evitar a lotação das salas”.

O governador da Bahia disse ainda que vai entrar com ação no Supremo Tribunal Federal (STF) para pedir que professores sejam enquadrados como público prioritário da vacinação.

“Vamos ao STF para pedir que os professores sejam considerados público prioritário na vacinação. Estamos ajustando tudo para dar segurança e condições sanitárias e pedagógicas de retorno aos estudantes, professores e demais profissionais da educação. Não podemos admitir outro ano sem aula e comprometer o futuro, os sonhos e os planos de milhares de estudantes”.

As aulas na Bahia estão suspensas desde março de 2020. O primeiro decreto foi publicado no dia 18, e desde então vem sendo renovado cada vez que vence, como medida de prevenção da Covid-19. A última prorrogação foi feita no dia 29 de janeiro e vale até 7 de fevereiro.


Força-tarefa da Lava Jato no Paraná ‘deixa de existir’, diz MPF

 

A força-tarefa da Lava Jato no Paraná ‘deixou de existir’ desde segunda-feira (1º), de acordo com o Ministério Público Federal informou nesta quarta-feira (3). A mudança acontece após a publicação de uma portaria da Procuradoria-Geral da República em dezembro de 2020, que estendia as atividades da força-tarefa no Paraná até outubro de 2021, mas com uma nova estrutura. 

De acordo com o MPF, cinco dos 15 integrantes da força-tarefa passaram a integrar o Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) e darão continuidade aos trabalhos da operação. Outros dez membros que compunham a força-tarefa permanecem designados para atuação em casos específicos ou de forma eventual até 1º de outubro de 2021, segundo o MPF, mas sem integrar o Gaeco e sem dedicação exclusiva ao caso. 

A Operação Lava Jato começou em 2014. Ao todo, até o momento, foram 79 fases. De acordo com o MPF, foram apresentadas 130 denúncias contra 533 acusados, e 174 pessoas foram condenadas pela Justiça. De acordo com o MPF, mais de R$ 4,3 bilhões foram devolvidos aos cofres públicos.

Mulher é presa ao ser flagrada recebendo 3kg de cocaína pelos Correios em Feira de Santana

 

Uma mulher de 30 anos foi presa por equipes das polícias Militar e Federal no momento em que recebia uma encomenda contendo três quilos de cocaína encaminhada pelos Correios. O flagrante aconteceu no bairro Queimadinha, em Feira de Santana, na manhã desta terça-feira (2). 

De acordo com a Polícia Federal, a droga que foi despachada no estado do Acre estava dividida em três tabletes, dentro de uma caixa cuja nota fiscal constava tratar-se de um videogame. Conforme a PF, os policiais passaram a vigiar o endereço da mulher após denúncia anônima. 

A Polícia Federal informou que a mulher foi autuada em flagrante pelo crime de tráfico interestadual de drogas. A PF disse que vai continuar as investigações, para identificar o remetente da droga e outros possíveis envolvidos.

Bolsonaro liberou R$ 504 mi para parlamentares às vésperas da eleição no Congresso

 

O governo do presidente Jair Bolsonaro pagou um volume recorde de emendas parlamentares em janeiro. No total, foram destinados R$ 504 milhões para redutos eleitorais de deputados e senadores até o último dia 26, conforme a indicação de congressistas. O valor é maior do que a quantidade paga no mês inteiro em qualquer ano anterior, de acordo com dados do portal Siga Brasil, do Senado Federal, corrigidos pela inflação.

Todos os anos, o governo é obrigado a pagar essas emendas. O momento de liberação, porém, ocorre a critério do Executivo. O valor pago em janeiro deste ano, às vésperas da eleição no Congresso, supera as emendas transferidas no mesmo mês de anos anteriores.

O recorde ocorre após o Congresso aumentar a quantidade de emendas parlamentares com pagamento obrigatório. Além disso, as liberações foram feitas em janeiro, quando as articulações do Palácio do Planalto para eleger seus candidatos à presidência da Câmara e do Senado se intensificaram. O governo tem usado os recursos para aumentar a base de apoio no Congresso e atrair votos para as candidaturas de Arthur Lira (PP-AL) e Rodrigo Pacheco (DEM-MG), respectivamente.

Os R$ 504 milhões pagos em janeiro são de transferências autorizadas no Orçamento de 2020. Nem todos os repasses, porém, foram executados no ano passado, fazendo o governo “pendurar” a conta para este ano. As emendas são recursos indicados por deputados e senadores no Orçamento da União para obras e projetos em redutos eleitorais, com pagamento obrigatório pelo governo. Quem define o momento da liberação, porém, é o Executivo.

O pagamento de emendas impositivas em janeiro, em um volume inédito na comparação com o mesmo mês de anos anteriores, ocorreu no momento em que aliados do Planalto negociavam votos para seus candidatos no Congresso, além das verbas extras de R$ 3 bilhões reveladas pelo Estadão. As extras são recursos diretos dos ministérios. As emendas impositivas, por outro lado, têm a digital dos parlamentares no Orçamento.

No caso das verbas extras, 285 parlamentares foram contemplados com recursos extras que saíram do Ministério do Desenvolvimento Regional, segundo uma planilha à qual o Estadão teve acesso. Deputados que abandonaram a candidatura de Baleia Rossi (MDB-SP) para apoiar Arthur Lira aparecem na lista como destinatários de milhões para seus redutos eleitorais. É o caso de políticos do DEM, que ontem decidiram retirar o apoio ao emedebista, e do PSL, que também rifou Baleia Rossi para aderir ao candidato de Bolsonaro.

O presidente Jair Bolsonaro e outros integrantes do governo fizeram declarações públicas nos últimos dias admitindo a vinculação das emendas com o movimento para construir uma base de apoio no Congresso. “O próprio parlamento sabe, nunca tiveram tanto recurso. A emenda é impositiva, libera. Libera, poxa, para que fazer jogo duro?”, disse o chefe do Planalto a jornalistas neste sábado, 30, ao lado de Luiz Lima (PSL-RJ), o segundo deputado que mais teve emendas pagas em janeiro. “O Parlamento é o nosso parceiro. Agora, para a gente atender aos parlamentares, temos que aprovar certas pautas que interessam para todos nós”, afirmou Bolsonaro.

O ministro da Secretaria de Governo, Luiz Eduardo Ramos, responsável pela articulação política, afirmou ao Estadão que o governo não está trocando verbas por votos. “Não está havendo nenhuma conversa relativa a negociação de voto. Seria até ofensivo, de minha parte, negociar voto em troca de cargos e emendas”, afirmou. Procurado nesta segunda-feira para comentar a liberação das emendas, a Secretaria de Governo ainda não se manifestou.

Em 2020, o governo federal reservou (empenhou, no jargão técnico) um total de R$ 33,9 bilhões em emendas parlamentares. Até o fim do ano, foram pagos R$ 16,1 bilhões. O restante ficou “pendurado” e vai disputar espaço com os gastos previstos para o Orçamento deste ano. O cenário acaba pressionando o Executivo. Por um lado, o pagamento é obrigatório. Por outro, o governo precisa escolher o que pagar para respeitar o teto de gastos, que proíbe o aumento de despesas federais acima da inflação do ano anterior.

Do total de emendas pagas em janeiro, a maior parte (R$ 482,8 milhões) foi destinada para atender indicações do relator-geral do Orçamento de 2020, deputado Domingos Neto (PSD-CE). Esses recursos foram colocados pelo relator na peça orçamentária conforme a escolha de deputados e senadores aliados. Também foram pagas emendas de deputados federais (R$ 9,5 milhões), senadores (R$ 259,7 mil), bancadas estaduais (R$ 2,5 milhões) e comissões do Congresso (R$ 9 milhões).

Em janeiro, o governo pagou emendas indicadas individualmente por 172 deputados e 19 senadores. No caso das emendas coletivas, foram atendidas bancadas de 10 Estados: Mato Grosso, Espírito Santo, Mato Grosso do Sul, Rio Grande do Norte, Sergipe, Alagoas, Rio de Janeiro, Goiás, Amazonas e Maranhão.

Na Câmara, os dois maiores partidos beneficiados foram o PDT e o PSL. E foi no mesmo mês que o PSL passou a integrar oficialmente o bloco de Arthur Lira na Câmara, após uma vitória interna da ala bolsonarista do partido. O PDT, por sua vez, anunciou apoio a Baleia Rossi (MDB-SP). Lira, porém, espera conquistar alguns votos de deputados da legenda na eleição desta segunda-feira. A votação é secreta, o que acaba facilitando o voto de parlamentares na contramão das lideranças partidárias.

Na quinta-feira, 28, Bolsonaro esteve em Sergipe para inaugurar uma ponte da BR-101, que liga as cidades de Propriá (SE) a Porto Real do Colégio (AL), e fez campanha para Arthur Lira. No mesmo evento, o ministro da Infraestrutura, Tarcísio Freitas, relacionou a liberação de emendas com o apoio do Congresso Nacional ao Executivo. O ministério de Tarcísio foi a pasta que mais pagou emendas em janeiro para bancadas estaduais, quando os recursos são indicados por todos os parlamentares de um mesmo Estado, um total de R$ 2,5 milhões.

“A aliança do Executivo com o Legislativo vai ser fundamental para que a gente possa concluir essas obras”, disse Tarcísio durante a cerimônia. “Eu agradeço o apoio que a bancada tem dado e tenho certeza que nós vamos inaugurar outra era no Parlamento a partir deste ano, uma era de aprovação de reformas e transformação do Brasil.”

Fonte: Correio

Idosa é morta pelo próprio neto na zona rural de Euclides da Cunha

 

Primeiro dia do mês de fevereiro de 2021 já traz uma notícia trágica da zona rural de Euclides da Cunha. Trata-se do assassinado de uma idosa moradora do povoado de Madeira, localidade que fica perto do distrito Murity, zona rural de Euclides da Cunha.

Segundo informações o crime foi praticado pelo próprio neto que não teve a identidade revelada. A vítima foi identificada pelo prenome Anita.

Guarnições das polícias Civil e Militar foram designadas ao local, assim como a equipe do Departamento de Polícia Técnica de Euclides da Cunha.

A motivação do crime é desconhecida.


Fechamento da fábrica da Ford na Bahia já tem reflexos na economia local

 

Empresas fornecedoras de produtos e serviços para a Ford já sentem os reflexos da decisão da montadora de encerrar as atividades nas suas fábricas brasileiras.

Pátio vazio. Os últimos veículos foram levados embora menos de 15 dias depois do anúncio do fechamento da fábrica de Camaçari, na Região Metropolitana de Salvador. Para quem estava acostumado a sair de lá com o caminhão cheio para atravessar o Brasil, o cenário é outro.

“Aqui acabou. A gente vinha carregado e voltava carregado. Agora só volta vazio agora”, diz o cegonheiro Sebastião Barbosa.

Dos 2.500 cegonheiros que faziam o transporte de veículos da Ford, 98% pararam.

“Quem transporta veículo, só transporta veículo porque é uma carreta específica para aquilo. A partir do momento que ela descarregou seus veículos na loja, ela só pode transportar veículo. Não tem outro tipo de carga”, afirma Márcio Leite, diretor do Sindicato das Pequenas e Micro Empresas e Transportes Rodoviários Autônomo de Veículos do Estado da Bahia (Sintraveba).

Nas concessionárias, carros em exposição, mas poucos clientes. Em algumas, a queda é de 50% nas vendas. A Associação Brasileira dos Distribuidores Ford (Abradif), que representa 283 concessionários no Brasil, entrou com um pedido de indenização. Na capital baiana, são pelo menos 400 pessoas empregadas nas quatro concessionárias.

“Nós estamos em compasso de espera. Como temos outras concessionárias, podemos remanejar a equipe de vendas, gestores, mas a gente não sabe como isso vai ficar”, diz Luís Pimenta, diretor de concessionária.

A decisão de encerrar a produção da Ford no Brasil gerou um efeito dominó, que se reflete em outros setores. A montadora disse que, com o fechamento das unidades no país, cinco mil empregos foram perdidos no Brasil e na Argentina, mas, segundo o Dieese, o impacto da saída da montadora deve ser 20 vezes maior. É que há toda uma cadeia indireta ligada à produção da empresa.

Dos 250 rodoviários que transportavam funcionários para Ford, 150 foram demitidos. Na empresa em que o motorista Danilo Andrade trabalha, foram mais de 60.

“Eu conduzia pelo menos umas 20, 25 pessoas. Só que agora esses dias só estou levando umas duas, três pessoas”, lamenta.

“No mínimo, cada carro que foi tirado do roteiro da Ford, são no mínimo cinco pais de família que perdem seus postos de trabalho”, explica o presidente do Sindicado dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários (Sindrod), Mário Santos.

Em um restaurante, duas empresas que prestavam serviço para a montadora cancelaram contratos de almoço. A empresária Fernanda Gomes, que também servia refeição para trabalhadores que atendiam à Ford, viu o movimento despencar e precisou enxugar o quadro de funcionários.

“Infelizmente, uma das primeiras atitudes que a gente deve fazer é redução de mão de obra. Eu estou com duas, mas eu já reduzi. Geralmente o quadro é de quatro pessoas por turno”, afirma Fernanda.

A Ford não quis comentar o pedido de indenização das concessionárias.


Deputado Adolfo Menezes é eleito novo presidente da Alba

 

A Assembleia Legislativa da Bahia (Alba) definiu nesta segunda-feira, 1º, a nova Mesa Diretora da Casa para o biênio 2021-2022. O deputado Adolfo Menezes (PSD) foi eleito o novo presidente da Casa, junto com a mesa composta pelos deputados Paulo Rangel (PT), Neuza Cadore (PT), Bobô  (PSB), Marcelinho Veiga (PSB) e Junior Muniz (PP).

“Antes de agradecer a generosidade e a confiança do conjunto dos deputados estaduais da Bahia, nesse primeiro pronunciamento como presidente da Assembleia Legislativa de nossa terra, rogo a Deus que ilumine meus passos diante da responsabilidade que estou assumindo perante meus pares e aos baianos.”, disse Menezes.  

“Assumo, portanto, neste instante, a chefia do legislativo da Bahia com o compromisso de agir com transparência e democracia – sem me afastar um milímetro que seja dos ditames da nossa constituição e do regimento interno.”, destacou.

Menezes agradeceu ao governador Rui Costa (PT), que apoiou seu nome à presidência da Casa. “Quero agradecer ao governador Rui Costa, agradecer o apoio que recebi de toda  base governista para minha indicação para a presidência da Casa.”, afirmou. “Sou grato ao senador Jaques Wagner, ao senador Otto Alencar  e ao senador Coronel. Minha saudação ao ex-prefeito ACM Neto e ao prefeito Bruno Reis.”

O único ponto de discórdia  foi a vaga  da segunda vice-presidência da Mesa. O deputado  Marcelinho Veiga (PSB) foi escolhido oficialmente pelo bloco PSB-Avante-PL para preencher a vaga, mas sua correligionária, Fabíola Mansur (PSB), propôs uma candidatura alternativa, criando uma cisão no bloco

“O regimento não fala de candidaturas oficiais ou extra oficiais, eu tive e tenho a legitimidade de disputar (…). Isso não é briga pessoal. Isso é uma legítima decisão de participar, de bater chapa para disputar uma vaga”, explicou a deputada Mansur.

A decisão foi a plenário e Veiga se saiu melhor, com 36 votos, conseguindo vencer o pleito, enquanto Fabíola Mansur computou 25 votos. O deputado estadual Alex Lima (PSB) e vice-presidente afirmou que tentou encontrar um consenso com o bloco antes da votação ir a plenário e expor um racha entre as siglas.  “Nós tentamos encontrar uma saída porque mesmo sendo democrático o debate, eu achava que era importante que a gente mantivesse uma posição de forma mais coesa, mas isso não foi possível.”, disse.

A oposição na Casa teve três vagas na nova Mesa Diretora. Eleito segundo secretário,  o deputado Alan Sanches (DEM) disse que a expectativa é “a melhor possível” para o biênio 2021-2022.

“Pra mim é motivo de orgulho, fui líder de alguns partidos aqui inclusive recentemente do Democratas, presidente de comissão, e achava que era o memento de poder contribuir, e graças a Deus tive essa votação e agora é trabalhar para representar não só o bloco mas toda a casa. A expectativa é a melhor possível, a mesa foi bem renovada, quando a gente tem uma renovação é salutar importante para a casa e o estado da Bahia”, afirmou.

A sessão foi totalmente presencial. Para seguir os protocolos de segurança contra Covid-19, os deputados foram chamados um a um para computar o voto, dos mais velhos aos mais jovens.

Policial Militar canta em bar de Salvador ao final do expediente e imagens viralizam na internet

 

Um policial militar viralizou na internet após um vídeo flagrar ele cantando em um bar, na noite de sexta-feira (29), no bairro de Itapuã, em Salvador. Ele foi identificado como soldado Wellington Ferreira, também conhecido como o cantor Amado Cigano. Segundo a Polícia Militar, Wellington e os colegas estavam em fim de expediente quando entraram em um bar para comprar uma água. Na ocasião, o público do bar teria reconhecido que ele era o cantor Amado Cigano e pediu para que desse uma palinha.

O soldado então atendeu ao pedido do público, pegou o microfone e cantou. Em entrevista à TV Bahia por telefone, Wellington Ferreira contou que terá uma reunião com a corporação da PM nesta segunda-feira (1º) para falar sobre o ocorrido da noite de sexta. Segundo a PM, esse teria sido um momento espontâneo, pois o soldado e os colegas pararam no bar para comprar água. Porém, disse que vai apurar o caso, para poder se posicionar.

Jovem é baleado durante tentativa de homicídio em bar de Araci

 

Diego Anaclecio Carvalho, de 18 anos, foi baleado em um bar no bairro Tiracolo, em Araci, região sisaleira da Bahia, no início da madrugada deste domingo (31). Segundo a Polícia Militar, o jovem foi socorrido por populares e levado para o hospital da cidade. 

Não há informações sobre o estado de saúde dele. A motivação do crime também é desconhecida. A PM fez buscas por dois indivíduos, sendo um deles apontado como autor dos disparos, mas não encontrou os suspeitos. O caso deve ser investigado pela delegacia da cidade.