Homem é assassinado a facadas no centro da cidade de Serrinha

Foto retirada do Whatsapp

Informação foram passada pelo Cicom de possível homicídio na rua 30 de Junho, no centro de Serrinha, atrás da Igreja Universal. Chegando ao local o homicídio foi confirmado, pois havia um homem,  negro,  não identificado, com mais de 10 perfurações de arma branca pelo corpo (pescoço, braços,  barriga e costas). As medidas cabíveis foram tomadas e o serviço da Polícia Civil foi acionado para remoção do corpo.

Porem o rapaz foi identificado como, Jackson  Gomes da Silva "Jaú" Residente na Rua Oriente, 62 , Oséas, Serrinha.

China diz que vacinou 1 milhão de pessoas contra Covid-19 e não detectou reação adversa

 

O oficial da Comissão Nacional de Saúde da China (NHC), que comanda o desenvolvimento de vacinas contra a Covid-19 no país, Zheng Zhongwei, disse neste sábado (19) que o país já vacinou mais de 1 milhão de pessoas com doses de emergência e que “nenhuma reação adversa séria” foi detectada, conforme informações do portal G1. 

“Para as vacinas em que estamos avançando muito rapidamente, o número de casos necessários para o estágio intermediário dos testes clínicos de fase 3 já foi obtido”, disse Zheng. Os dados das aplicações, feitas em grupos de alto risco, foram encaminhados ao órgão regulador local para análise. Até fevereiro de 2021, a China planeja vacinar até 50 milhões de pessoas. 

A capital, Pequim, deverá distribuir cerca de 100 milhões de doses feitas pela Sinopharm e pela Sinovac, esta última também em testes e desenvolvimento no Brasil em parceria com o Instituto Butantan, em São Paulo. Uma vacina do laboratório CanSino Biologics Inc também já foi aprovada para uso emergencial na China, mas estará restrita aos militares.

Isolamento cai ao menor nível desde o início da pandemia, diz Datafolha


Movimento na Rua 25 de Março e Ladeira Porto Geral, em SP, no último fim de
 semana antes do Natal | Foto Paulo Pinto/FotosPublicas


Pesquisa Datafolha divulgada pelo jornal “Folha de S.Paulo” apontou que o número de pessoas em isolamento recuou ao menor nível desde o início da pandemia. O instituto começou a fazer o levantamento em abril. Segundo a pesquisa, em dezembro, 7% dos brasileiros disseram que estão vivendo normalmente, sem mudar nada nas suas rotinas. Na pesquisa feita entre os dias 1º e 3 de abril, este percentual era de 4%. 


Já a parcela dos entrevistados que afirmou que está tomando cuidado, mas que sai de casa para trabalhar ou fazer outras atividades foi de 54% neste mês, contra 24% em abril. Os que estão completamente isolados correspondem a 5% dos entrevistados. O recorde foi no 17 de abril, com um percentual de 21%. Já as pessoas que só saem de casa quando é inevitável são 34%, contra 54% no início de abril. Segundo o Datafolha, os níveis de isolamento começaram a cair a partir de maio.


Ainda segundo a pesquisa, 88% dos entrevistados afirmam que sempre saem de casa com máscara. Outros 8% dizem que usam máscaras somente às vezes, e 2%, raramente. Segundo o G1, a Pesquisa Datafolha foi feita por telefone celular com 2.016 brasileiros adultos, entre os dias 8 e 10 de dezembro em todas as regiões e estados do país. A margem de erro é de dois pontos percentuais.

Homem é preso ao ser flagrado vendendo drogas na rodoviária de Tucano

 

Neste sábado (19), por volta das 19h, um homem foi preso ao ser flagrado vendendo drogas em uma lanchonete do terminal rodoviário do município de Tucano, localizado a 85 km de Serrinha. 

De acordo com informações colhidas pelo PCS, o suspeito estava com 25 papelotes de cocaína, dois comprimidos de rebite (medicamento utilizado como inibidor de sono), um celular e R$ 193,00 provenientes da venda dos entorpecentes. 

Conforme a polícia, o suspeito foi encaminhado à Delegacia Territorial do município e a droga apreendida foi encaminhada para perícia. O homem foi autuado em flagrante por tráfico e segue à disposição da Justiça. 

Homem é preso em flagrante após agredir companheira em Araci

 

Um homem foi preso em flagrante, após ameaçar e agredir a companheira. O caso aconteceu na sexta-feira, 18, no povoado da Laranjeira, zona rural de Araci, distante 35 quilômetros de Serrinha.

Segundo informações da Polícia Civil, o agressor estava na mesma região onde ocorreu o fato. A violência teria sido motivada por uma discussão.

O homem foi autuado por lesão corporal e ameaça e está à disposição do Poder Judiciário. A vítima foi ouvida e encaminhada para atendimento médico e exame de corpo de delito para que sejam avaliadas as lesões corporais.

STF autoriza medidas restritivas para quem não se vacinar contra Covid-19


Decisão não permite vacinação a força, mas sanção para não vacinados

Agência Brasil -O Supremo Tribunal Federal (STF) deu aval hoje (17) para que os governos locais possam estabelecer medidas para vacinação compulsória da população contra a covid-19. Conforme o entendimento, a União, os estados, o Distrito Federal e os municípios podem estabelecer medidas legais pela obrigatoriedade, mas não podem determinar a vacinação forçada.

O caso foi julgado de forma preventiva. Até o momento, nenhum dos laboratórios que desenvolvem a vacina contra o novo coronavírus pediu autorização da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para comercialização do produto.

Com a decisão, nenhuma lei poderá prever que o cidadão seja levado à força para tomar a vacina, mas a eventual norma poderá prever a restrição de direitos pela falta de comprovação da vacinação, como deixar de receber um benefício, ser proibido de entrar em algum lugar ou ser impedido de realizar matricula escolar na rede pública de ensino.

No mesmo julgamento, a Corte decidiu que pais ou responsáveis de crianças e adolescentes também são obrigados a vacinarem seus filhos.

O entendimento do Supremo foi firmado no julgamento de três processos. A Corte julgou ações protocoladas pelo PDT para que o tribunal reconheça a competência de estados e municípios para determinar a vacinação compulsória e pelo PTB, cujo objetivo era garantir que a imunização não seja compulsória. Também foi julgado o caso de uma casal vegano que se recusou a vacinar os filhos por convicções pessoais. Esse caso chegou ao STF antes da pandemia.

Votos

No julgamento, prevaleceu o voto do ministro Ricardo Lewandowski, proferido na sessão de ontem (16), e do ministro Luis Roberto Barroso, relatores das ações. Segundo Lewandowski, a vacinação forçada da população é inconstitucional. No entanto, os governos podem aprovar medidas para determinar indiretamente a vacinação compulsória.

Barroso disse que a liberdade de consciência e de crença devem ser respeitadas, mas devem prevalecer os direitos da coletividade. O ministro citou que a vacinação compulsória começou a ser prevista em lei na época da monarquia no Brasil. “Não é novidade a obrigatoriedade de vacinas no direito brasileiro”, disse.

Para o ministro Alexandre de Moraes, é obrigação do Poder Público a realização da vacinação compulsória da população, sob pena de responsabilização dos agentes públicos.

“Cada brasileiro terá a obrigação de se vacinar, o que não significa que poderá ser lavado de forma forçada até a vacina. Obrigatoriedade não significa isso. A obrigatoriedade significa que eventual descumprimento levará a uma sanção”, afirmou.

O entendimento também foi seguido pela ministra Rosa Weber e os ministros Dias Toffoli, Cármen Lúcia, Gilmar Mendes, Marco Aurélio e o presidente, Luiz Fux. Nunes Marques ficou vencido ao entender que a vacinação obrigatória deve ocorrer somente em último caso. 


Pazuello prevê receber 24,7 milhões de doses de vacina em janeiro

 

O ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, afirmou nesta quinta-feira, 17, que prevê receber 24,7 milhões de doses de vacina contra a Covid-19 em janeiro, 37,7 milhões em fevereiro e 31 milhões em março, considerando a produção de vacinas de três laboratórios: AstraZeneca (vacina de Oxford), Instituto Butantan e Pfizer. A programação foi citada na fala inicial do ministro em sessão remota do Senado para debater os planos de imunização no Brasil contra o novo coronavírus.

"Se nós aprofundarmos esses números estamos falando de 500 mil doses da Pfizer em janeiro, 9 milhões de doses do Butantan em janeiro, e 15 milhões de doses da Astrazeneca em janeiro. a data exata é o mês de janeiro [...] isso tudo dependendo do registro da Anvisa. Se somarmos esses números, vamos ter 24,7 milhões de doses em janeiro. Isso é daqui a 30 dias, janeiro aqui eu falo meio de janeiro. Não são seis meses. Em fevereiro, repete-se a Pfizer, aumenta o Butantan pra 22 milhões [de doses] e mantém a Astrazeneca 15,2 milhões, vai pra 37,7 milhões de doses. E em março 31 milhões de doses", explicou.

O ministro citou ainda que, além das negociações com os três laboratórios, há o consórcio Covax Facility, coordenado pela Organização Mundial de Saúde (OMS), e que disponibilizará aos países membros vacinas à medida que forem aprovadas para uso, independente do desenvolvedor. "Temos dez fabricantes no consórcio e, no momento em que sair o registro de uma das 10, nós podemos optar a compra por uma delas e vamos para 42 milhões de doses entregues. Todas essas possibilidades e números, estamos em uma vanguarda, não estamos sendo atropelados, estamos em uma vanguarda", disse.

O governo federal lançou oficialmente nesta quarta-feira, 16, o Plano Nacional de Vacinação contra a Covid-19. Apesar de apresentar números de doses e estruturar o plano em três fases, o documento não informa uma data para o início da imunização no Brasil. Além disso, as informações nele apresentadas poderão ser atualizadas.

Possível chapa para presidência da Câmara de Serrinha é formada


Conversa nos bastidores já indicam uma possível chapa para o biênio 2021 a 2022 da câmara de Serrinha. O nome de Alex da saúde aparece como favorito, para o pleito, isso porque tudo indica que ele já tenha pelo menos possíveis 13 nomes o apoiando.

A chapa seria formada por;

Presidente: Alex da Saúde
Primeira vice presidente: Rose de João Grilo
Segunda Presidente: deca de Bela Vista
Primeiro Secretário: Junior Bigode
Segundo Secretário: Santiago





Mulher é executada no portão da casa onde morava em Coité


Uma mulher identificada como Rosana Bispo dos Santos, 48 anos, foi executada a tiros por volta das 17h15 no portão dos fundos da casa onde morava na Rua Izidro Bispo, bairro dos Barreiros em Conceição do Coité. Até a publicação desta reportagem ninguém detalhou como ocorreu o crime.


Foto: Raimundo Mascarenhas

Uma irmã da vítima contou a Polícia que tinha deixado a mesma em casa e foi para sua residencia no Bairro Cidade Jardim e quando chegou, recebeu uma ligação que Rosana tinha sido morta. “Eu não sei como aconteceu isso, a vida toda aqui em casa, mãe sempre disse para que ninguém deixasse o portão aberto, ela ouviu isso desde pequena”, contou a irmã.

As policias Civil e Militar estiveram no local minutos depois do crime e ouviu os familiares para iniciarem o trabalho de investigação.


Foto: Raimundo Mascarenhas


O Departamento de Polícia Técnica (DPT) de Serrinha também foi acionado para realizar o levantamento cadavérico.

Informações de vizinhos dão conta que pelo menos quatro disparos foram ouvidos.

Rosana deixa esposo e dois filhos.




Secretário de saúde faz estimativa de início de vacinação contra Covid-19 na Bahia: ‘Sendo realista, começo de fevereiro’

 

O secretário estadual da saúde da Bahia, Fábio Vilas-Boas disse nesta quarta-feira (16), que a Bahia deve começar a vacinar contra a Covid-19 entre janeiro e fevereiro e que o estado vai ser um Hub – um centro de distribuição de vacinas, para outros estados.

“A Bahia assim como vários estados funcionarão como coordenadores regionais e fiscalizadores da distribuição e aplicação da vacina. Nós faríamos o ‘hub’ de distribuição. Haverá uma intensa participação da iniciativa privada, das companhias aéreas, das companhias de transporte rodoviário, que irão distribuir gratuitamente a vacina em várias cidades do Brasil. Onde não houver [transporte] rodoviário, o transporte aéreo, as forças armadas, Aeronáutica, irá auxiliar. Então nós iniciaremos o trabalho de integração com todos os 417 municípios da Bahia para poder dar capilaridade a rede de distribuição da vacina”, disse.

“Muito otimista, no final do mês de janeiro há condições de se começar a vacinação. Sendo realista, começo de fevereiro”.

Também nesta quarta, o Governo da Bahia anunciou que está em tratativas com a indústria que irá produzir a vacina Sputnik V no Brasil, a União Química Farmacêutica.

De acordo com o governo, a Bahia vai auxiliar na condução de estudos clínicos para submissão regulatória na Anvisa e existe a possibilidade de usar parte da estrutura fabril da Bahiafarma, em Simões Filho, região metropolitana de Salvador, nas etapas finais da produção da vacina.

Em setembro deste ano, o governo da Bahia havia informado que concluiu o acordo de confidencialidade com o governo da Rússia para que todas as informações científicas da vacina contra a Covid-19 “Sputinik V” sejam repassadas para a Fundação Baiana de Pesquisa Científica e Desenvolvimento Tecnológico (Bahiafarma). Na prática, o acordo marca um avanço nas negociações entre o país e o estado, que a partir de agora poderá ter acesso à tecnologia usada na produção do imunizante.

Quase 9 mil casos em dois dias

A Bahia registrou 4.866 novos casos de Covid-19 nas últimas 24h, segundo dados divulgados pela Secretaria da Saúde do Estado (Sesab), na tarde desta quarta. Em dois dias, já são contabilizados quase 9 mil novos contaminados pelo coronavírus no estado [na terça-feira, 15, foram 4.114 casos em 24h].

De acordo com o boletim desta quarta-feira, a taxa de crescimento no número de casos foi de +1,1% e o de recuperados 1%. O boletim epidemiológico ainda contabiliza 26 óbitos, que ocorreram em datas diferentes. O número total de mortes, desde o início da pandemia, é 8.691 o que representa uma letalidade de 1,91%.

Segundo a Sesab, são 456.106 casos confirmados desde que a pandemia começou. Desses, 435.556 já são considerados recuperados e 11.859 encontram-se ativos.

Decreto que proíbe shows e aulas é prorrogado até 4 de janeiro

O Governo do Estado decidiu prorrogar o decreto que suspende as aulas nas unidades de ensino das redes pública e privada e os shows em toda a Bahia. A prorrogação será publicada no Diário Oficial do Estado (DOE) desta quinta-feira (17) e vale até o dia 4 de janeiro de 2021.

O decreto ainda proíbe a realização de atividades com público superior a 200 pessoas, como passeatas, feiras, circos, eventos científicos, desportivos e religiosos. Shows e festas, públicas ou privadas, seguem proibidos independentemente do número de participantes.

Cerimônias de casamento e solenidades de formatura podem ser realizadas desde que limitadas a até 200 pessoas. A parte festiva desses eventos não está permitida.


‘Me vejo sozinha’, diz mulher que perdeu mãe, irmão e 3 tios para a Covid

Thamires (no meio) com a mãe e a irmã, que morreram por Covid no RJ | Foto: Arquivo Pessoal

“Eu me vejo sozinha”. A frase dita pela assistente social Thamires da Silva Netto, 29 anos, resume o sentimento da moradora de Duque de Caxias, na Baixada Fluminense, que perdeu cinco familiares durante a pandemia do novo coronavírus (Sars-Cov-2).

Aos 29 anos, Thamires teve que enterrar três tios, a mãe, Rosalita da Silva Netto e, no último fim de semana, a irmã, Tatiane da Silva Netto, 34 anos. Em entrevista ao G1, ela afirmou que a sensação é de que está vivendo um “pesadelo que não acabou”.

“Eu me vejo sozinha. Mesmo tendo o apoio de muita gente, eu sinto que perdi minha base. Vai ser muito difícil ficar sem minha mãe e irmã, sem vê-las, sem conversar. A gente tinha até grupo no WhatsApp nós três, e agora só sobrou eu”, afirmou Thamires.

“É uma coisa horrorosa o que eu tenho passado. Parece que é um pesadelo que não acabou. O baque foi enorme de perder minha mãe e irmã. Eu estou devastada. Éramos muito unidas, sempre fomos nós três para tudo, minha irmã mais velha era a minha segunda mãe. A gente compartilhava tudo da vida. Não sei como vai ser daqui para frente”, completou a assistente social.

Thamires com sua família | Foto: Arquivo Pessoal

O sofrimento da família em 2020 começou ainda no início de abril, com a perda da avó e matriarca Derly de Paula Amaro, de 90 anos. Apesar de ter morrido por insuficiência respiratória, o teste rápido feito pela equipe do Samu não detectou o coronavírus.

“Tudo começou no início da pandemia. Minha avó paterna teve os sintomas de Covid, a minha família acionou a Samu, fizeram exame rápido e deu negativo. Falaram que não era necessário levar para o hospital. Na manhã do dia seguinte, minha avó faleceu. A causa da morte foi insuficiência respiratória. Até hoje não tenho certeza se não foi Covid”, contou Thamires.

Tios morreram em intervalo de 10 dias

Já em outubro, os tios Rosangela Maria da Silva Ferreira, 62 anos, e Milton Bastos Ferreira, 66 anos, testaram positivo. Eles foram levados para o Hospital Municipal São José, em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense.

“Minha tia começou a manifestar os sintomas de Covid. Fez o exame rápido, também deu negativo. Fez tomografia e já estava com 50% do pulmão comprometido e foi para o hospital. Nesse meio tempo, o marido dela também começou a ter sintomas. Eles chegaram a ficar juntos no mesmo quarto do hospital São José”, disse.

“Infelizmente, a minha tia não resistiu, veio a óbito. Meu tio sempre perguntava por ela, mas ficou sem notícia dela e começou a piorar. Dez dias depois ele faleceu também”.

A mãe de Thamires ficou muito abalada com a morte da irmã, e a família suspeita que ela tenha se infectado durante o velório.

“Tudo isso mexeu muito com a nossa família. Minha mãe ficou devastada por ter perdido a irmã. Ela foi para o enterro dos dois, foi para o cemitério e a gente suspeita que tenha sido nesse processo de velório no cemitério que ela se infectou. Antes, ela estava sempre em casa, não tinha exposição ao vírus”, disse.

Morte da mãe foi recebida enquanto levava pai para emergência

Com alguns sintomas da doença, a mãe de Thamires, Rosalita da Silva Netto, foi levada para o Hospital Pasteur, no Méier, Zona Norte do Rio. A notícia da morte da mãe foi dada enquanto Thamires chegava com seu pai, Jorge de Paula Netto, na emergência do mesmo hospital para iniciar o tratamento também contra coronavírus.

“Lá ela piorou e precisou ser intubada. Enquanto isso, meu pai estava com Covid tratando em casa. Levamos ele para a emergência e, neste momento, recebemos a informação de que minha mãe tinha falecido. Foi horrível”, disse Thamires.

Thamires e a mãe dela | Foto: Arquivo Pessoal

“Enquanto meu pai estava no hospital, minha irmã estava com Covid. Ela começou a tratar em casa. Mas começou a piorar. Ela foi internada na Clínica Santa Bárbara, na Zona Sul. Na última sexta-feira, ligaram para gente dizendo que ela estava mais cansada, precisando de mais oxigênio. Ela acabou sendo intubada e também faleceu. No sábado, o irmão do meu pai também faleceu”, completou.

Ao final da entrevista, Thamires disse ainda que precisa seguir em frente “cuidando do que restou” de sua família. Ela fez um apelo para que as pessoas tenham “bom senso” no último mês do ano porque a pandemia não terminou. A assistente social teve seus planos de fim de ano interrompidos.

“Na última vez que eu a encontrei, a gente começou a fazer planos para o Natal e Ano Novo. Sobre o que vamos fazer para a ceia. Eu falei que não abria mão do bacalhau dela, acabou que não vou comer o bacalhau da minha mãe esse ano”.

Mais um óbito por Covid19 é registrado em Serrinha nesta terça feira, e 30 novos casos também são confirmados

 


A Prefeitura de Serrinha informa que nesta terça-feira, 15/12, foram confirmados 30 novos casos de coronavírus. Sendo assim, a cidade atinge um total de 1.999 casos da Covid-19.

Hoje foram registradas 31 curas e 01 óbito, com isso Serrinha registra 1.954 curados, 23 óbitos e 22 casos ativos.

Dos pacientes que testaram positivo para o coronavírus 16 são mulheres de 05, 11, 18, 19, 21, 27, 27, 28, 33, 34, 34, 34, 35 37, 47 e 48 anos e 14 homens de 01, 19, 20, 21, 23, 25, 30, 31, 34, 36, 36, 44, 47 e 48 anos.

O óbito registrado hoje foi de um paciente do sexo masculino de 79 anos, residente na Vila de Fátima e não possuía comorbidades.

Ainda segundo o boletim epidemiológico, Serrinha registra um total de 205 casos suspeitos da doença.

Governo aumenta para R$ 1.088 previsão para salário mínimo em 2021

 

Agência Brasil - O governo aumentou para R$ 1.088 a estimativa para o salário mínimo em 2021. O valor consta de mensagem modificativa ao projeto da Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) do próximo ano, que deverá ser votado amanhã (16) pelo Congresso. O ofício foi enviado hoje (15) pelo Ministério da Economia.

O valor representa R$ 21 de aumento em relação à projeção de R$ 1.067 que constava da proposta do Orçamento Geral da União, enviada ao Congresso no fim de agosto. A medida deverá ter impacto de R$ 7,4 bilhões nas contas públicas em 2021.

A alta deve-se a um repique da inflação e à revisão da projeção para o Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC), usado para cumprir o objetivo da Constituição de manter o poder de compra do salário mínimo. Em agosto, quando os preços ainda estavam impactados pela crise da pandemia do novo coronavírus, a equipe econômica projetava que o INPC encerraria 2020 em 2,09%. No fim de novembro, a previsão saltou para 4,1%, após a alta no preço dos alimentos no segundo semestre.

Segundo o projeto da LDO, cada R$ 1 de aumento do salário mínimo eleva a previsão de gastos do governo em R$ 355 milhões. Isso porque diversos gastos, como o piso dos benefícios da Previdência Social, o abono salarial e o seguro-desemprego, estão atrelados ao salário mínimo. Dessa forma, a alta de R$ 21 impacta as despesas federais em R$ 7,4 bilhões.

De 2012 a 2019, o salário mínimo era reajustado por uma fórmula que seguia a variação do INPC do ano anterior mais o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB, soma das riquezas produzidas no país) registrada dois anos antes. O mínimo de 2020 em diante passou a ser corrigido apenas pelo INPC do ano precedente, de forma a não descumprir a Constituição.