Homem é conduzido à delegacia por suspeita de maus-tratos a cão em Serrinha

 

Por volta das 15h30 de ontem (20), a guarnição da 1ª Companhia de Polícia Militar, foi solicitada por um homem de 28 anos, protetor independente de animais, juntamente com uma estagiária de Medicina Veterinária e outro homem de 44 anos, para que os acompanhássemos até o Povoado de Floresta, em Serrinha, para averiguar uma situação de maus tratos a animais. Ao chegar ao local denunciado, foi constatado que o cachorro que sofria maus tratos estava morto.

Retornando ao local em que foi denunciado o fato, a ex-mulher do possível infrator encontrava-se no local e informou que o acusado, um homem de 42 anos, proprietário do animal, estava trabalhando em uma fazenda próxima.

Ao chegar no local informado, o homem e sua ex-esposa foram conduzidos à Delegacia de Polícia para a adoção das medidas cabíveis.

Maus-tratos contra cães ou gatos

Na última terça-feira (29), o presidente Jair Bolsonaro sancionou a lei que aumenta as penas para quem maltratar cães e gatos (ver aqui). Agora, a punição passa a ser prisão de dois a cinco anos, multa e proibição da guarda.

Anteriormente, a pena era de detenção de três meses a um ano, além de multa. De acordo com a Secretaria-Geral da Presidência da República, o chefe do Executivo não vetou nenhum dispositivo da nova legislação.

Fonte: 16° BPM/ASCOM


Nenhum comentário:

Postar um comentário