Aneel: contas de luz terão bandeira verde em março, sem taxa extra


 'A previsão é de manutenção dessa condição hidrológica favorável, o que aponta para um cenário com elevada participação das hidrelétricas', disse a Aneel em nota

As contas de luz terão bandeira verde no mês de março, anunciou há pouco a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), ou seja, sem taxa extra nas tarifas de energia para os consumidores. Em fevereiro, a bandeira também foi verde.
Segundo a Aneel, a previsão para março é de manutenção das condições de chuva de fevereiro, quando os principais reservatórios de hidrelétricas do Sistema Interligado Nacional (SIN) apresentaram recuperação de níveis em razão do volume de chuvas próximo ao padrão histórico do mês.

"A previsão para março é de manutenção dessa condição hidrológica favorável, o que aponta para um cenário com elevada participação das hidrelétricas no atendimento à demanda de energia do SIN, reduzindo a necessidade de acionamento do parque termelétrico", disse a Aneel em nota.

A agência ainda aponta que essa perspectiva refletiu-se na redução do preço da energia no mercado de curto prazo (PLD) e dos custos relacionados ao risco hidrológico (GSF).

No sistema de bandeiras tarifárias, em vigor desde 2015, a cor verde não tem cobrança de taxa extra, indicando condições favoráveis de geração de energia no País. Na bandeira amarela, a taxa extra é de R$ 1,343 a cada 100 kWh consumidos.

Já a bandeira vermelha pode ser acionada em um dos dois níveis cobrados, dependendo da quantidade de termelétricas acionadas. No primeiro nível, o adicional passa a ser de R$ 4,169 a cada 100 kWh. No segundo nível, a cobrança extra será de R$ 6,243 a cada 100 kWh.

As bandeiras tarifárias indicam o custo da energia gerada e possibilitam o uso consciente por parte dos consumidores. Antes do sistema, o custo da energia era repassado às tarifas no reajuste anual de cada empresa, com incidência da taxa básica de juros.



Casos prováveis de chikungunya na Bahia crescem 366% em 2020

Nos dois primeiros meses do ano, dengue e zika tiveram redução de notificações, segundo a Sesab

O número de casos prováveis de chikungunya na Bahia cresceu 366% nos primeiros dois meses do ano, na comparação com o mesmo período do ano passado. A informação foi divulgada pela Secretaria Estadual da Saúde (Sesab) e é referente ao período de 29 de dezembro de 2019 a 15 de fevereiro de 2020. Já as ocorrências de dengue e de zika tiveram redução de 17,6% e 22,9%, respectivamente.
Segundo os dados da Sesab, a quantidade de casos prováveis de chikungunya saltou de 248 para 1.158 ocorrências. Uma morte está em investigação e pode ter relação com a doença. No total, 57 dos 417 municípios do estado notificaram suspeitas de pacientes infectados com o vírus.
Feira de Santana é a cidade que lidera o ranking. No total, 322 casos prováveis de chikungunya estão em investigação no município. Salvador (31 notificações) e São Francisco do Conde (27), na região metropolitana, aparecem logo em seguida.
Dengue
Já quando o assunto é dengue houve redução na comparação com 2019. A Sesab informou que a Bahia registrou 4.466 casos prováveis da doença nos dois primeiros meses do ano, 17,6% a menos que as 5.425 notificações do ano passado. No total, 200 municípios suspeitam que pacientes estejam com o vírus.
Os municípios com maior incidência da doença foram Valente, na região de Serrinha (Centro-Leste), com 254 casos; Vera Cruz, na Região Metropolitana de Salvador, com 195 ocorrências; e Cândido Sales, na região de Vitória da Conquista (Sudoeste), com 127 pacientes.
Zika
A zika foi a arbovirose com a maior redução na Bahia na comparação com 2019. O número de casos prováveis caiu 22,9%, passando de 222 ocorrências para 171 notificações. No total, 26 cidades baianas relataram suspeita da doença entre 29 de dezembro do ano passado e 15 de fevereiro de 2020.
Dengue
Já quando o assunto é dengue houve redução na comparação com 2019. A Sesab informou que a Bahia registrou 4.466 casos prováveis da doença nos dois primeiros meses do ano, 17,6% a menos que as 5.425 notificações do ano passado. No total, 200 municípios suspeitam que pacientes estejam com o vírus.
Os municípios com maior incidência da doença foram Valente, na região de Serrinha (Centro-Leste), com 254 casos; Vera Cruz, na Região Metropolitana de Salvador, com 195 ocorrências; e Cândido Sales, na região de Vitória da Conquista (Sudoeste), com 127 pacientes.
Zika
A zika foi a arbovirose com a maior redução na Bahia na comparação com 2019. O número de casos prováveis caiu 22,9%, passando de 222 ocorrências para 171 notificações. No total, 26 cidades baianas relataram suspeita da doença entre 29 de dezembro do ano passado e 15 de fevereiro de 2020.
Em relação à chikungunya, os baianos ficaram à frente também de todos os estados do Norte, Sul e Centro-Oeste. A Bahia está atrás apenas do Espírito Santo (1.096 casos) e do Rio de Janeiro (706).
Os casos de Zika foram contabilizados pelo Ministério da Saúde entre 29 de dezembro do ano passado e 25 de janeiro de 2020. A Bahia teve 36 casos prováveis da doença, sendo o estado com o maior número de notificações em todo o país.





 

 

Coronel da PM morre em acidente na BR-116 em Serrinha

Coronel da PM morre em acidente na BR-116 em Serrinha

 Coronel da PM morre em acidente na BR-116 em Serrinha

O coronel da Polícia Militar Zeliomar Almeida Volta morreu por volta das 4h40 desta sexta-feira (28), durante um acidente na BR-116 Norte, em Serrinha, sentido Teofilândia.

Ao Acorda Cidade o repórter José Ferraz, da Rádio Regional de Serrinha, informou que havia óleo na pista em decorrência de um outro acidente, e ao passar com o veículo Hilux prata (MTL-6924), ele perdeu o controle da direção em uma curva e capotou. O veículo saiu da pista.

“Na noite de ontem (27) uma carreta carregada com óleo vegetal colidiu com um carro de passeio com uma família que seguia para o Rio Grande do Norte e o óleo derramou na pista. Hoje, por volta das 4h40 da manhã, o coronel, talvez sem perceber que tinha óleo na pista, sem sinalização, capotou o veículo no trecho da Cebola Podre, próximo ao motel D'Lírius, e veio a óbito”, relatou.

José Ferraz informou ainda que no mesmo trecho, também na manhã desta sexta-feira, o tenente da Polícia Militar Leonardo Alves Franca também captou o veículo, mas não teve lesões grave.

O coronel Zeliomar é natural de Monte Santo e foi comandante do 1º Batalhão da Polícia Militar (BPM) de Feira de Santana. O corpo foi encaminhado para o Departamento de Polícia Técnica de Serrinha.

 

 

 


Bahia registra 12 casos suspeitos de coronavírus, diz Sesab; seis deles foram excluídos

A Bahia registrou 12 casos suspeitos de Covid-19 (coronavírus) até esta quinta-feira (27). A informação foi divulgada pela Secretaria da Saúde do Estado da Bahia (Sesab). Conforme a Sesab, seis casos suspeitos já foram descartados, outros quatro deram negativo no primeiro exame e aguardam a contraprova e dois estão em análise. Os casos só são oficialmente reconhecidos como suspeitos após confirmação do Ministério da Saúde, o que ainda não ocorreu.

Segundo informações da Sesab, os seis casos descartados estavam nos municípios de Camaçari, Tucano, Jequié, Jacaraci e Itabuna. Os pacientes que aguardam a contraprova são da cidade de Itabuna e os dois que estão em análise estão internados nos hospitais Português e Aliança, em Salvador. O órgão informou que os casos são listados em um Banco Oficial do Ministério da Saúde. O banco de dados é atualizado todos os dias às 12h.

De acordo com a Sesab, cinco casos de Salvador, um de Feira de Santana e um de Porto Seguro foram notificados nesta quinta após o fechamento do banco de dados e devem ser computados na sexta-feira (28). Dos casos de Salvador, dois deram entrada no Hospital Geral do Estado (HGE), no entanto, preliminarmente estão sendo descartados por não se enquadrarem nos critérios clínicos epidemiológicos.

Os casos suspeitos de Salvador estão internados nos hospitais Jorge Valente, São Rafael, na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do Marback e os dois do HGE. A Sesab informou que os demais casos estão sendo investigados pelos órgãos municipais e estadual de vigilância. Segundo o Ministério da Saúde, para um caso ser considerado suspeito, é necessário:

Situação 1: Febre E pelo menos um sinal ou sintoma respiratório (tosse, dificuldade para respirar, batimento das asas nasais entre outros) E histórico de viagem para área com transmissão local, de acordo com a OMS, nos últimos 14 dias anteriores ao aparecimento dos sinais ou sintomas; OU

Situação 2: Febre E pelo menos um sinal ou sintoma respiratório (tosse, dificuldade para respirar, batimento das asas nasais entre outros) E histórico de contato próximo de caso suspeito para o coronavírus (COVID-19), nos últimos 14 dias anteriores ao aparecimento dos sinais ou sintomas; OU

Situação 3: Febre OU pelo menos um sinal ou sintoma respiratório (tosse, dificuldade para respirar, batimento das asas nasais entre outros) E contato próximo de caso confirmado de coronavírus (COVID-19) em laboratório, nos últimos 14 dias anteriores ao aparecimento dos sinais ou sintomas.

Os países considerados área de transmissão são: Japão, Itália, Alemanha, Austrália, Emirados Árabes, Filipinas, França, Irã, Malásia, Singapura, Coreias do Sul e Norte, Tailândia, Vietnã, Cambodja e China.

De acordo com a SMS, os pacientes monitorados na capital baiana apresentaram sintomas respiratórios leves estiveram recentemente em países que têm a circulação do vírus, de acordo com a nova lista divulgada pelo Ministério da Saúde.

Após ser liberado em audiência de custódia, homem é mantido preso por uma semana por não ter celular

Suspeito foi liberado sob condição de uso de tornozeleira eletrônica. Polícia alegou que não soltaria o rapaz, porque ele não teria como manter comunicação com a Justiça.

Após ser liberado em audiência de custódia, homem é mantido preso por uma semana por não ter celular 

Um homem que foi preso em flagrante e liberado após uma audiência de custódia foi mantido na delegacia dos Barris, em Salvador, por uma semana, porque não tinha celular para manter contato com a Justiça. Conforme a Defensoria Pública do Estado da Bahia (DPE), o suspeito foi solto depois que o órgão conseguiu um Habeas Corpus, na terça-feira (25).

Segundo informações do DPE, o caso foi descoberto durante uma inspeção que o órgão fez na delegacia. Na audiência de custódia, realizada no dia 19 de fevereiro, foi decidido que o suspeito seria liberado sob a condição do uso da tornozeleira eletrônica.

De acordo com o órgão, o celular é exigido para o uso do monitoramento eletrônico. Entretanto, a Defensoria entrou com o Habeas Corpus, porque considerou que a decisão de manter o suspeito preso causou constrangimento ilegal para o rapaz.

A decisão judicial deu cinco dias para que, após a soltura, o homem fornecesse um contato telefônico para possibilitar a comunicação e juntar aos autos do processo. O número pode ser de um parente ou amigo próximo dele.

A defensora pública Cynara Fernandes, da relatoria penal do Plantão do Carnaval, informou que a decisão é importante porque tem pessoas que são presas e não possuem um aparelho celular, a exemplo das que se encontram em situação de rua.

“Foi uma decisão justa e acertada por parte da autoridade judiciária. Manter uma pessoa encarcerada por não ter um telefone é uma medida inconcebível e seletiva”, disse a defensora pública.



MP-BA recebe representação do Estado contra declarações de Kannário

No documento, a Procuradoria-Geral do Estado destaca que, fato que poderia causar a incitação da população contra a Polícia Militar e comprometer a segurança da festa.
MP-BA recebe representação do Estado contra declarações de Kannário 

O Ministério Público baiano recebeu ontem (25), durante o plantão de carnaval, uma representação do Estado da Bahia sobre as declarações do cantor Igor Kannário contra a Polícia Militar da Bahia feitas na segunda-feira (25) no circuito do Campo Grande, em Salvador. 

No documento, a Procuradoria-Geral do Estado destaca que, além das palavras agressivas e de “baixo calão” contra os policiais, o cantor proferiu as frases do alto de um trio elétrico para uma multidão, fato que poderia causar a incitação da população contra a Polícia Militar e comprometer a segurança da festa. 

Ainda na representação, o Estado pede ao Ministério Público que acione penalmente Igor Kannário pelos crimes de calúnia e difamação (artigos 138 e 139 do Código Penal brasileiro). O MP baiano analisará o pedido e adotará as medidas que entender cabíveis. As informações são do bahia.ba. 





Homem é retirado de casa por encapuzados e morto a tiros na zona rural de Coité

Um homem de 26 anos foi encontrado morto a tiros no povoado Nova Palmares, na zona rural de Conceição do Coité, a 35 quilômetros de Serrinha. O caso ocorreu na madrugada desta terça-feira (25), por volta das 3h30.

Por meio de investigações preliminares, a polícia relata que José Edivaldo de Jesus Santiago, natural de Retirolândia, estava dormindo em casa com familiares, quando quatro homens encapuzados invadiram a residência.

O homem foi retirado do local e executado com vários tiros em frente ao imóvel. Conforme a polícia, uma televisão foi levada pelos criminosos. O caso é apurado pela Delegacia Territorial (DT) local. Não há informações sobre os autores do crime.

Vítima dormia quando grupo invadiu a residência na madrugada de terça.

Anguera: Quatro pessoas são mortas e 14 baleadas em festa de paredão



Quatro homens morreram e 14 pessoas foram baleadas durante um tiroteio em uma festa de paredão na zona rural de Anguera, a 106 quilômetros de Serrinha, nesta segunda-feira (24). A Polícia Civil investiga os crimes e ninguém foi preso até o momento.

Segundo a Polícia Civil, os bandidos estavam em um carro e trocaram tiros com pessoas que estavam na festa. Policiais militares contaram que dezenas de tiros foram disparados no momento da confusão, que ocorreu entre membros de facções ligadas ao tráfico de drogas. No total, foram 18 baleados, sendo que três pessoas morreram no local e outra no hospital.

Na festa, realizada no povoado de Areia, havia cerca de mil foliões. O tiroteio provocou correria e alguns deles foram pisoteados. As vítimas fatais foram identificadas como Edson da Silva Rodrigues, de 24 anos, Márcio do Carmo Jesus, de 25, George Cardoso dos Santos e Maíque Santos da Silva, ambos de 22.

Apesar de o tiroteio ter ocorrido por conta da briga entre facções, a polícia não sabe dizer ao certo se as vítimas estão diretamente ligadas a elas ou se foram atingidas por balas perdidas no meio da confusão.

As outras vítimas foram socorridas ao Hospital Geral Clériston Andrade (HGCA), em Feira de Santana, e não tiveram as identidades e o estado de saúde divulgados.

Em nota, a Polícia Militar informou que policiais da 57ª Companhia Independente da Polícia Militar (CIPM/ Santo Estevão) estiveram no local depois de receber a informação de que homens armados atiraram em algumas pessoas no povoado, mas que os bandidos fugiram.

Os corpos foram encaminhados para o Departamento de Polícia Técnica (DPT) e as mortes serão investigadas pela Delegacia Territorial de Feira de Santana.

Mega-Sena sorteia neste sábado prêmio acumulado de R$ 190 milhões






 O prêmio está acumulado há 15 concursos, recorde para a modalidade

A Mega-Sena sorteia neste sábado (22) prêmio estimado em R$ 190 milhões. É 15ª vez que a Mega-Sena acumula este ano, o recorde para a modalidade.

O sorteio das seis dezenas do concurso 2.236 será realizado a partir das 20h (horário de Brasília) no Espaço Loterias Caixa, localizado no Terminal Rodoviário Tietê, na cidade de São Paulo.

O sorteio é aberto ao público, que pode acompanhar também pelas redes sociais: no Facebook e no canal Caixa no Youtube.

De acordo com a Caixa, o valor do prêmio, caso aplicado na poupança, poderia render R$ 491 mil por mês.

As apostas podem ser feitas até as 19h (horário de Brasília) do dia do sorteio em qualquer casa lotérica credenciada pela Caixa, em todo o país. A cartela, com seis dezenas marcadas, custa R$ 4,50.

Probabilidade
A probabilidade de acerto da aposta simples de seis números na Mega -Sena é de uma em 50 milhões. Já no caso da aposta de de números, a chance de ganhar aumenta para uma em 238 mil.

EUA retomam importação de carne in natura do Brasil

A importação estava suspensa desde junho de 2017 

Os Estados Unidos voltarão a comprar carne fresca (in natura) do Brasil. A importação estava suspensa desde junho de 2017. De lá para cá, os americanos vinham comprando apenas carne enlatada do Brasil. A informação foi confirmada pela ministra da Agricultura, Tereza Cristina. "É uma ótima notícia para o Brasil O mercado americano não é tão representativo para nós em termos de volume, mas é muito importante conceitualmente, por termos esse mercado aberto", disse ao Estado.

Em junho de 2017, o governo americano suspendeu a importação de carne in natura brasileira. Em março daquele ano, após a deflagração da chamada Operação Carne Fraca pela Polícia Federal, os americanos passaram a inspecionar todos os lotes de carne in natura vendidos pelo Brasil. A decisão dos EUA se baseou em uma reação à vacina contra febre aftosa, uma lesão que, segundo pecuaristas, não afeta a qualidade da carne.

À época, o então ministro Blairo Maggi tentou reverter a decisão, sem sucesso, e chegou a declarar que era preciso entender que o Brasil estava exportando carne "para o maior concorrente que temos no mundo" e que, por isso, havia pressão grande de produtores americanos para que o embargo fosse efetivado.
 

Mais Lidas
  Nota Premiada de Carnaval tem ganhadores de R$ 10 mil a

 

WhatsApp vai parar de funcionar em celulares Android e iPhones antigos


WhatsApp vai parar de funcionar em alguns celulares Android e iPhone (iOS) com sistemas operacionais antigos. A página de suporte do mensageiro foi atualizada recentemente com as versões que deixam de ser compatíveis a partir de 1º de fevereiro de 2020. De acordo com o comunicado, dispositivos rodando Android 2.3.7 ou mais antigo e iOS 8 ou anterior não permitem mais a criação de novas contas ou mesmo a verificação de números já cadastrados, e não vão mais funcionar com o app após o mês de janeiro.

Quem utiliza o aplicativo com essas versões de sistema ainda pode trocar mensagens até a data de encerramento do suporte, mas algumas funções podem parar de funcionar a qualquer momento, já que não há mais atualizações da plataforma nestes aparelhos. Em julho, foi anunciado o fim do suporte do app ao Windows Phone — não é mais possível baixá-lo na loja virtual da Microsoft.

WhatsApp vai parar de funcionar em celulares com sistemas operacionais antigos — Foto: Anna Kellen Bull/TechTudo
WhatsApp vai parar de funcionar em celulares com sistemas operacionais antigos

A página de suporte do WhatsApp diz que recomenda o uso de celulares rodando Android 4.0.3 ou superior, ou iOS 9 ou posterior. A mudança faz com que alguns smartphones antigos, que não recebem novas atualizações de sistema, se tornem incompatíveis com o WhatsApp. Isso inclui o iPhone original, além dos modelos 3G, 3GS e 4, todos sem suporte à nona versão do sistema da Apple.

Como descobrir a versão do Android
No caso da plataforma do Google, entre os aparelhos que perdem o suporte ao aplicativo estão o Samsung Galaxy X e o Sony Xperia S, por exemplo. De acordo com informações da página oficial do Android para desenvolvedores, a versão 2.3.7 ou inferior do sistema representa 0,3% dos dispositivos em todo o mundo. Para descobrir qual está instalada no seu smartphone, vá até "Configurações", e toque em "Sobre o telefone". Por fim, procure por "Informações do software" e "Versão Android".

Aprenda a conferir a versão do seu Android — Foto: Reprodução/Fernanda Lutfi
Aprenda a conferir a versão do seu Android


Maurício Barbosa: ‘É claro, querem desacreditar nossas instituições’



Maurício Barbosa, secretário da Segurança Pública da Bahia
Maurício Barbosa, secretário da Segurança Pública da Bahia, diz que a politização do caso do miliciano Adriano Nóbrega, principalmente com os disparos do presidente Bolsonaro, que pede uma perícia independente sem nem ver o resultado da perícia baiana, tem uma intenção deliberada, desacreditar as instituições.

– Nossa perícia é das melhores do Brasil. Traga quem quiser para checar, outras polícias, universidades, mas particulares... É uma investigação criminal que foi politizada com a intenção de desacreditar nossas instituições e tirar o caso da Bahia.

Resposta dada — Maurício falou ontem em entrevista à Band News, quando disse que o laudo da perícia baiana ainda nem foi liberado. O Ministério Público, por exemplo, pediu uma série de informações que o laudo responde. E ressalta que o papel dele, no caso, é defender a honorabilidade das instituições baianas agora ameaçadas.

– Quem falou em cremação foi a família de Adriano e não nós. E também divulgaram um vídeo com um suposto corpo de Adriano. Parece que não é, porque no Adriano um tiro saiu pelas costas e no do vídeo não tem. Mas no meio dos ataques vem uma série de mentiras.

Nos meios políticos, há quem aponte as ironias da história. Bolsonaro disse que ‘a polícia do PT executou Adriano’, no caso, a PM baiana. E com isso desagradou muitos simpatizantes que ele tem na própria PM baiana.

Miliciano morto em Esplanada esteve na vaquejada de Serrinha, diz jornal




Reportagem publicada no último sábado (15) pelo jornal Folha de S. Paulo revela que o miliciano Adriano da Nóbrega, 43, não estava exatamente escondido. Segundo a publicação, nos últimos cinco meses, o ex-militar do Bope do Rio de Janeiro circulou por festas de vaquejada e praias da Bahia e de Sergipe, mesmo foragido da Justiça. A quem perguntasse quem ele era, apresentava-se: “Capitão Adriano”.

O miliciano ligado ao senador Flávio Bolsonaro (sem partido-RJ) foi morto no domingo (9 de fevereiro) em uma operação das polícias fluminense e baiana, em Esplanada (175 km de Serrinha). Nos meses anteriores, de acordo com a Folha, participou de competições de vaquejada nos municípios de Lagarto e Itabaiana, em Sergipe, Serrinha e Inhambupe, na Bahia, mesmo diante de câmeras e de grandes públicos.

Registros da Associação Brasileira de Quarto de Milha consultados pelo jornal paulista apontam que, usando seu próprio nome, Adriano disputou provas na categoria amador em 17 de janeiro de 2019, quando ficou em quarto lugar com seu parceiro Leandro Guimarães, o mesmo fazendeiro que lhe daria abrigo em Esplanada.

Menos de duas semanas depois, Adriano se tornou foragido, com a deflagração de operação do Ministério Público do Rio de Janeiro. Investigações apontam que Adriano atuava em diferentes atividades ilegais: milícia, jogo do bicho, máquinas caça-níqueis e homicídios profissionais.

De acordo com a reportagem, as viagens à Bahia eram feitas de carro. A cada visita, acompanhava-o um caminhão com quatro cavalos, cada um valendo R$ 40 mil, que ele mantinha em um haras no Rio de Janeiro. Seu objetivo, segundo o relato de testemunhas, era montar um novo haras no litoral norte da Bahia, incluindo uma pista onde pudesse treinar para vaquejadas.

A polícia investiga se o haras era uma iniciativa pessoal de Adriano ou um empreendimento de seu grupo criminoso para lavagem de dinheiro ou até mesmo a formação de uma nova célula miliciana no Nordeste.






O ex-policial foi citado na investigação do Ministério Público do Rio de Janeiro que apura se houve “rachadinha” no gabinete de Flávio quando ele era deputado estadual. Segundo o MP-RJ, contas de Adriano foram usadas para transferir dinheiro a Fabrício Queiroz, então assessor de Flávio e suspeito de comandar o esquema de devolução de salários.

O ex-PM também é apontado como o chefe do Escritório do Crime, grupo paramilitar que comanda a comunidade do Rio das Pedras, na zona oeste da capital fluminense. A milícia é investigada por ligação com os assassinatos de Marielle Franco e Anderson Gomes.

Justiça determina novo exame - A Justiça da Bahia determinou nesta terça-feira (18) um novo exame no corpo do miliciano Adriano da Nóbrega, morto durante operação policial no dia 9 de fevereiro em um sítio na zona rural da cidade de Esplanada, na Bahia. A decisão ocorreu depois um pedido feito pelo Ministério Público da Bahia (MP-BA). Segundo o Órgão, o objetivo é esclarecer dados até o momento obscuros, entre eles, a trajetória dos tiros.

No documento, a Justiça pede que o corpo do miliciano não seja cremado e, por isso, mantido em conservado em câmara de refrigeração no Instituto Médico Legal do Rio de Janeiro, para a realização de perícia necroscópica complementar no cadáver.

Além disso, a Justiça requisita à Secretaria de Segurança Pública do Estado da Bahia as gravações dos rádios transmissores utilizados pelos agentes policiais no dia da operação policial e exames papiloscópico nas munições não deflagradas da pistola Glock (9mm) supostamente encontrada com Adriano. O miliciano estava foragido havia mais de um ano.

Adriano era suspeito de comandar um grupo criminoso que cometeu dezenas de homicídios, o Escritório do Crime. O ex-capitão foi expulso da PM por envolvimento com o jogo do bicho e já foi homenageado mais de uma vez pelo então deputado estadual Flávio Bolsonaro (sem partido), hoje senador.

Miliciano Adriano Magalhães de Nóbrega morreu após um confronto com policiais militares
Manchas de sangue ficaram na sala da casa
Cômodo onde miliciano dormia